Institucional

Home Institucional O que é Patologia Clínica

O que é Patologia Clínica / Medicina Laboratorial

Através da realização de exames laboratoriais, a Patologia Clínica/Medicina Laboratorial fornece informações ao médico, de modo a proporcionar-lhe os meios necessários para atuar na prevenção, diagnóstico, tratamento, prognóstico e acompanhamento das enfermidades em geral. Para atingir esse propósito, o médico depende, essencialmente, da rapidez, precisão e exatidão dos valores fornecidos pelo laboratório de sua confiança.

Os exames mais freqüentes são realizados em sangue, urina, fezes e outros líquidos biológicos. Através desses exames é possível identificar substâncias e quantificar muitas delas. As metodologias utilizadas são variadas. Os laboratórios brasileiros dispõem de instrumentos iguais aos utilizados em países mais desenvolvidos.

Um dos setores que mais evolui na medicina atualmente é o de laboratórios clínicos, onde podemos observar a cada dia novas descobertas sobre marcadores de doenças, o que possibilita o início de tratamento precocemente ou mesmo a prevenção.

O exercício da Patologia Clínica/Medicina Laboratorial obedece às normas do Código de Ética Médica em vigor, independente da função ou cargo ocupado pelo médico. Segue sempre os princípios fundamentais da ética, entre os quais destaca-se o que diz ser “a Medicina uma profissão a serviço da saúde do ser humano e da coletividade e devendo ser exercida sem discriminação de qualquer natureza”.

O Patologista Clínico é o médico especialista em Medicina Laboratorial, que obteve sua titulação através de atendimento a critérios técnicos estabelecidos pela Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML).

Atualmente, a prática da Patologia Clínica/Medicina Laboratorial está necessariamente associada à participação em Programas de Controle Externo e Interno da Qualidade. Desde 1978, a SBPC/ML supervisiona Programas dessa natureza. Eles permitem detectar erros analíticos antes da liberação de resultados, além de assegurarem a exatidão dos resultados que serão fornecidos aos clientes. Isto ocorre graças a análise de controles (sangues-controle), cujos resultados são conhecidos previamente e devem ser comparados aos encontrados pelos laboratórios. Caso isto não ocorra, o laboratório terá que, necessariamente, reavaliar seu sistema analítico antes de proceder as análises de amostras de seus clientes.

Com o propósito de assegurar a qualidade de todas as etapas ou processos envolvidos nos serviços oferecidos pelos laboratórios clínicos, a SBPC/ML criou, em 1998, o Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos (PALC), que tem o objetivo de oferecer maior confiança aos usuários através do Certificado de Acreditação, entregue aos laboratórios que cumprem os requisitos estabelecidos pelo Programa.

Com os processos de Acreditação é possível verificar, através de auditorias externas periódicas, se o laboratório atende a padrões preestabelecidos relacionados ao ambiente; ao fornecimento de instruções para o preparo adequado do paciente para a coleta; transporte de material a ser analisado; calibração e manutenção de equipamentos; pureza da água reagente; cuidados com manipulação e estocagem de reagentes; procedimentos escritos para realização de cada exame; e tratamento de resíduos, entre outros.