Em janeiro de 2022, quando a diretoria eleita da SBPC/ML para o biênio 22/23 assumiu a gestão, o status de emergência da pandemia da covid-19 ainda estava em curso em muitas partes do mundo. O desenvolvimento de vacinas e esforços de controle da propagação do vírus havia ocorrido, mas a crise sanitária ainda não estava encerrada. A obrigatoriedade do isolamento social serviu para acelerar a digitalização em todos os setores e forçou uma rápida adaptação e inovação na medicina diagnóstica, destacando a importância da tecnologia para melhorar a eficiência, precisão e acessibilidade dos diagnósticos médicos. Muitas dessas mudanças continuarão a ser parte integrante da prática médica. A patologia clínica e medicina laboratorial naquele momento cumpriam papel educativo essencial ao prover informações confiáveis sobre testagens e ao municiar os profissionais do setor. No período, uma ação conjunta entre a SBPC/ML, Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC), Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed), e Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial (CBDL) implementou o programa de avaliação de kits para coronavírus em 13 laboratórios (públicos e privados), com análise de 15 mil amostras e 44 testes, que obtiveram o reconhecimento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e da Agência Nacional de Saúde (ANS). A gestão da SBPC/ML no biênio também participou ativamente do Comitê Especial de Monitoramento da covid-19 (sigla: CEM covid). Na grade de cursos de ensino a distância foi desenvolvido o EAD Era covid: impactos no comportamento do consumidor. Além de um cenário de incertezas inerente a uma crise sanitária com alto grau de exigência imposta aos profissionais da área da saúde, em 2022, a nova gestão da SBPC/ML também encarava o desafio de comunicar com eficiência numa realidade híbrida, com poucas atividades presenciais e outras 100% online. Na avaliação de Annelise Correa Wengerkievicz, diretora de Comunicação e Marketing no biênio 22/23, foi necessário implementar novas formas de disseminar o conhecimento. “Foi um momento crucial em que a SBPC/ ML incorporou uma agenda remota de atividades científicas, que ajudaram a respaldar a atuação dos profissionais da patologia clínica e da medicina laboratorial”, lembra Annelise. No período, o Podcast Papo de Laboratório, que chegou à terceira temporada agora em 2023, se tornou um dos principais canais de interlocução com os associados e com o público em geral. Também foi criada uma nova Biblioteca Digital e as campanhas de conscientização foram amplificadas através do uso intensivo de redes sociais como o Instagram, aumentando o alcance dos públicos de interesse.

Com o objetivo de auxiliar no desenvolvimento da qualidade dos laboratórios clínicos no Brasil, o Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos (PALC) foi criado pela SBPC/ML em 1998. Nesses 25 anos, o programa se consolidou e ganhou cada vez mais relevância e reconhecimento no mercado.

O 55º Congresso Brasileiro de Medicina Clínica e Medicina Laboratorial (CBPC/ML), evento com quatro dias de duração que reuniu quase sete mil pessoas, em São Paulo, contou com uma extensa programação científica, iniciada com cursos pré-congresso, e mais 130 atividades incluindo conferências, mesas redondas, encontros com especialistas, workshops e apresentações de casos clínicos. Foram 250 palestrantes nacionais e 70 internacionais. A exposição técnico-científica contou com mais de 90 empresas e instituições apresentando novidades para o setor de laboratórios clínicos. O Congresso também foi o palco para lançamentos de publicações técnicas direcionadas aos profissionais do setor. A tecnologia, um dos eixos transversais em toda a programação da conferência, perpassou por enfoques relacionados aos exames e diagnósticos e, também, processos clínicos. A área médica de forma geral e o segmento de patologia clínica em especial têm sido os mais impactados pelos avanços tecnológicos. Somente nos últimos três anos, com a ampliação do uso de ferramentas de inteligência artificial e outras inovações, observa-se uma melhora significativa nos tratamentos e cuidados com os pacientes na mesma proporção em que a predição e celeridade na obtenção de diagnósticos avançam. Também a humanização na saúde e todos os temas relacionados permearam o conteúdo técnico-científico do 55º CBPC/ML. Durante o Congresso, Fábio Brazão, presidente da SBPC/ML, ressaltou que é fundamental colocar o ser humano no centro do cuidado médico e garantir que os aspectos emocionais, psicológicos e sociais dos pacientes sejam considerados tão importantes quanto os aspectos clínicos. Nas páginas a seguir, você poderá conferir um recorte do que foi apresentado nos quatro dias do Congresso e saber como as novas tecnologias e a humanização da saúde estão contribuindo para o estabelecimento de uma nova era na patologia clínica e na medicina laboratorial.

Na noite da sexta-feira, 15 de dezembro, às 19h, será realizada a cerimônia de posse da Diretoria da SBPC/ML do biênio 2024/2025, na sede da SBPC/ML. São esperados cerca de 60 convidados. 

O mandato da diretoria começa efetivamente em 1º de janeiro de 2024.

Foi realizado no dia 1º/12  o III Fórum de discussão em Stewardship para o controle de resistência antimicrobiana. O evento reuniu representantes de sociedades médicas, governamentais e administrativas para discutir o papel do laboratório de microbiologia nos programas de gerenciamento de uso dos antimicrobianos (Stewardship). 

A Sociedade Brasileira de Patologia Clínica / Medicina Laboratorial - SBPC/ML, sediada na Rua 2 de dezembro, 78, sala 909, Flamengo, Rio de Janeiro, Brasil, inscrita no CNPJ 34.265.017/0001-92 e a Sociedade Brasileira de Análises Clínicas - SBAC, sediada na Rua Vicente Licínio, 99, Tijuca, Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, Brasil, inscrita no CNPJ sob nº 34.134.495/0001-20, entidades científicas sem fins lucrativos, vocacionadas à disseminação do conhecimento clínico-laboratorial para a melhor assistência ao paciente sob o pálio da ética e do compromisso com o seu bem-estar, vêm manifestar veemente protesto contra a conduta da operadora de plano de saúde BRADESCO SAÚDE de exigir dos profissionais médicos, como condição de cobertura contratual, o fornecimento de informações e dados clínicos relacionados aos seus pacientes (usuários), por meio de descabido formulário de justificativa técnica para exames laboratoriais.